Petraglia pode entrar na lista de nomes de estádios do Brasil

O presidente do Athletico-PR, Mario Celso Petraglia, pode receber uma grande homenagem em vida. O Conselho Deliberativo do clube convocou uma reunião extraordinária para a próxima segunda-feira, 26, para debater a possível mudança do nome da Ligga Arena (antiga Arena da Baixada), para o do histórico dirigente, cujo primeiro mandato teve início em 1995.

O nome oficial do estádio do Athletico-PR é Joaquim Américo, que em 1913, ano do início das obras, era presidente do Internacional de Curitiba, clube que originou o Athletico. Em 1999, sob o comando de Petraglia, o local passou por uma enorme reforma e passou a ser uma dos mais modernas arenas do Brasil.

Caso o Athletico decida pela mudança e consiga alterar o artigo 99 de seu estatuto, Petraglia, de 80 anos, se juntará ao grupo de dirigentes que batizam grandes estádios do país. Saiba quem foram Mário Filho, Paulo Machado de Carvalho, entre outros.

Mário Filho (Maracanã)

Mário Rodrigues Filho (1908-1966) foi um dos maiores jornalistas esportivos do Brasil, torcedor do Flamengo e irmão do escritor e dramaturgo tricolor Nelson Rodrigues. Nascido em Recife (PE), fez carreira no Rio (foi o criador do nome do clássico Fla-Flu) e foi um dos grandes incentivadores da construção do Maracanã.

Gilvan de Souza e Paula Reis / CRF
No Maracanã, Flamengo recebe o Atlético-GO pela 20ª rodada do Brasileiro –

Cícero Pompeu de Toledo (Morumbi)

Cícero Pompeu de Toledo (1910-1959) era o presidente do São Paulo no início da construção do estádio tricolor. Morreria em 1959, um antes de o Morumbi ser inaugurado. Sob sua gestão, o São Paulo foi campeão paulista de 1948, 1949, 1953 e 1957.

Morumbi: ingressos mais baratos até o fim do BrasileirãoMorumbi: ingressos mais baratos até o fim do Brasileirão
Morumbi: ingressos mais baratos até o fim do Brasileirão

Paulo Machado de Carvalho (Pacaembu)

Paulo Machado de Carvalho (1901-1992) foi um advogado e empresário paulistano. Ganhou o apelido de “Marechal da Vitória” por ter chefiado a delegação do Brasil nas primeiras Copas conquistadas, em 1958 e 1962. Fez fama no rádio e na TV (foi criador da TV Record e dono da Panamericana, que mudaria de nome para Jovem Pan) . Foi presidente do São Paulo entre 1940 e 1947, antecessor de Cícero Pompeu de Toledo. Passou a batizar o Pacaembu em 1961, 21 anos depois da inauguração do estádio municipal.

Vista aérea do Estado do Pacaembu, em São PauloVista aérea do Estado do Pacaembu, em São Paulo
Vista aérea do Estado do Pacaembu, em São Paulo

Governador Magalhães Pinto (Mineirão)

José de Magalhães Pinto (1909-1996) foi um advogado e banqueiro, e dos mais poderosos políticos de Minas Gerais. Foi deputado, senador e governador do estado entre 1961 e 1966. Apoiou o golpe militar de 1964 e assumiu o Ministério das Relações Exteriores no governo de Costa e Silva.

@brunogranja_ / Ag. Corinthians@brunogranja_ / Ag. Corinthians
O Mineirão foi inaugurado em 1965, quando Magalhães Pinto era governador de MG

José Pinheiro Borda (Beira-Rio)

José Pinheiro Borda (1897-1965) foi um engenheiro nascido em Portugal e que veio ainda jovem para Porto Alegre. Foi presidente do conselho deliberativo do Internacional e comandou a comissão de obras do Beira-Rio. Morreu em 1965, quatro anos antes da inauguração do estádio colorado.

Vista do Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)

Urbano Caldeira (Vila Belmiro)

Urbano Vilella Caldeira Filho (1890-1933) é considerado um dos santistas mais fanáticos em todos os tempos. Catarinense, se mudou para o litoral paulista para trabalhar como agente alfandegário, mas sua paixão e talento para o futebol falaram mais alto. Foi atleta, treinador e dirigente do Santos. Era constantemente visto aparando o gramado do Peixe. Morreu de pneumonia aos 43 anos. Dias depois, a diretoria decidiu batizar a Vila Belmiro com seu nome.

Bruno Granja / Ag. CorinthiansBruno Granja / Ag. Corinthians
Santos e Corinthians duelam em clássico paulista na Vila Belmiro

Major Antônio Couto Pereira 

Antônio Couto Pereira (1896-1976), o homem que batiza o estádio do Coritiba, foi um militar e presidente do clube paranaense. Responsável por encontrar o terreno no bairro Alto da Glória, em Curitiba, inaugurado em 1932, sob o nome de Belfort Duarte. Passou a batizar o estádio apenas em 1977, quando foi concluída uma grande reforma no local.

Couto Pereira, a casa do Coritiba

 

Governador Plácido Castelo (Arena Castelão)

Plácido Aderaldo Castelo (1906-1979), foi um advogado, jornalista e político. Foi prefeito de Fortaleza e governador do Ceará na época da inauguração do estádio, em 1973.

Bruno Granja / Ag. CorinthiansBruno Granja / Ag. Corinthians
Arena Castelão é palco para Fortaleza e Corinthians pela 23ª rodada –

Deixe um comentário