0714676e b88b 41a6 beec e8faed4b4201

Redação Blog Desportivos

Empossado, Pedrinho fala sobre objetivos como presidente do Vasco

Rio de Janeiro, RJ, 24 (AFI) – O Vasco tem um novo presidente. Ex-jogador e ídolo do clube, Pedrinho teve a cerimônia da sua posse realizada na última segunda-feira (22) e comentou sobre diversos assuntos. Como primeira declaração, o mandatário disse que o bom convívio com a SAF, comandada pela 777 Partners, é de extrema importância.

“É muita honra estar representando milhares de torcedores nessa nova função. Em relação à SAF, sempre vamos tentar o diálogo. Mas como eu digo, meu trabalho é em prol do Vasco, eu sou Vasco. O diálogo é sempre aberto, é sempre prazeroso falar de futebol e contribuir. Desde que fui empossado eu me coloquei à disposição para isso, sempre partiu de mim para que isso acontecesse, até o momento, por eu ainda não ser presidente, acho que vai facilitar. Quem tem 30%, pode ser minoritário, tem que ser ouvido, a intenção é sempre de ajudar e colaborar. Eu tenho direitos e deveres em relação ao associativo, que é fiscalizar, cobrar e lutar pelo clube e pelo torcedor, é para isso que eu vim e me preparei. O diálogo vai ser a primeira opção para que as coisas funcionem. Eu torço para o Vasco, então é para o Vasco que vou trabalhar.”

SEM VAIDADE

Pedrinho ainda afirmou que não possui vaidade no cargo que vai exercer. Ele garantiu estar preparado para o novo desafio, ressaltando o lado de torcedor vascaíno, independente da porcentagem do clube associativo.

“Isso não me incomoda. Quem me conhece sabe que tenho zero vaidade com relação a poder e ter a última voz. Eu sei que não estou nem no top-10 dos maiores jogadores da história do Vasco, e isso não me faz inferior em nada. Mas também sei que, com o carinho do torcedor, posso estar na primeira prateleira. O torcedor vai olhar para mim e se identificar, porque ele vê verdade, vê sentimento, sabe toda a minha história e relação com o Vasco. Quero contribuir para um Vasco forte, seja com 1%, 10%, 30% ou com nada, como já foi. Não torço para empresa, para marca, eu torço para o Vasco. Eu me preparei e trabalho para o Vasco. O que for melhorar para o Vasco é o que vai ser feito.” 

O agora dirigente lembrou que o fato de ter trabalhado com a comunicação o ensinou muitas coisas e confirmou que vai ser totalmente transparente no período do mandato.

“A comunicação me ensinou muita coisa. Obviamente estudei para estar lá naquele lugar, tentei fazer a comunicação de forma mais simples para fazer com o que o outro entenda, mas tentei trazer algo novo para a comunicação. O que eu percebi aqui é ser verdadeiro, falar com a alma, não ser um personagem. Aqui sou eu, Pedrinho, um ser humano, que tem sentimentos, que vai errar e acertar. Sou eu. Eu jamais vou fazer ou falar algo que eu não possa cumprir. O torcedor quer transparência. Eu vi uma frase da Leila sobre confidencialidade de contrato e perguntei o porque disso se o torcedor é o maior patrimônio do clube… É isso, transparência com o torcedor.”

DISCURSO DE POSSE

“Eu quero ressaltar que é esse Vasco que eu busco, de pessoas que podem lutar por situações diferentes. Mas quando o segundo passo acontece, eu trato com respeito. Eu não sou maior que o Vasco, o Leven não é, ninguém. Quando estava do lado de fora, as situações nunca eram muitas boas. Falo de questão de humanidade, de tratar com amor, com carinho. Nunca entendi sobre brigas políticas. A torcida do Vasco não aguenta mais isso. A minha entrada representa isso. Que as pessoas se respeitem, que a oposição fiscalize, cobra, mas lute por um Vasco melhor.

Vou fazer uns agradecimentos rápidos. Tudo que eu falaria, o Alan já falou. Alan, presidente da Assembleia Geral, Jaime Ribeiro, vice-presidente. Presidente do Conselho de Beneméritos, Antônio Peralta, que me viu aqui desde os 6 anos de idade. Aos meus vices, Paulinho Salomão e Renato Brito. Aos beneméritos presentes, muito obrigado. Isso tem muita história de vocês aqui. Aos conselheiros eleitos, faço o agradecimento na figura de Claudete, Maria Conceição, Patricia e Sabrina. Aos meus amigos… Me desculpa, Edmundo, tudo que falaria para você o Alan já falou. O Felipe, um dos que responsáveis por eu estar aqui sentado. Ao Cristiano Campos, que tem participação especial para eu estar aqui. Ao Arthur, ao Marcelo Tangerina ao Caixeiro e todos os outros, se sintam abraçados. Aos membros do conselho construtivo.

Esse dia de hoje passou comigo e o que me ensinou ao Vasco, foi muito forte. As pessoas questionaram muito a minha saída da maior emissora do país, sendo quatro vezes eleito o melhor comentarista, para esse desafio de presidir o Vasco. Deixar claro que estou bem cercado para gerir o Vasco. Sempre cobrei que as pessoas fizessem algo diferente para ajudar o Vasco. Para mim, estava cômodo. Bom salario e falando sore o Vasco. Mostrei que as pessoas podem trabalhar em prol de um projeto esportivo. Posso garantir para vocês que o projeto, hoje, é um projeto pro Vasco. Não é um projeto pessoal. Que isso fique muito claro.

Eu trabalho para o Vasco. Quem votou em mim e quem não votou. Infelizmente, a instituição foi apequenada. Mas mesmo jogando futebol e sendo atleta, eu ouvi falar do tamanho disso tudo. Me incomoda muito ver a instituição sendo desrespeitada. Precisamos de avanço no desempenho desportivo, estrutura, divida, responsabilidade social. Quero dizer a todos vocês que estão aqui, que a minha função é fiscalizar, cobrar, ser proativo, ser transparente com relação a SAF. É isso que vou fazer. Ser transparente com o torcedor.

Não estou nem nos Top-10 da história do Vasco. Temos um aqui que é Top-3, que é o Edmundo. Mas sei que ocupo um lugar especial no coração do torcedor. Veem verdade em mim quando se trata de Vasco da Gama. Vou honrar isso. Ninguém é maior que o Vasco. Nós somos o Vasco. Obrigado a todos.”

Confira também:






About Author

Assine nossa newsletter
Ative o JavaScript no seu navegador para preencher este formulário.
Nome

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.